quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Jornal da família Sarney lança sequência de fake news e é desmentido por consultorias


O Jornal O Estado do Maranhão publicou na última terça-feira (31), matéria apontando que o PIB do Maranhão teria caído 11,5% em 2015 e 2016. Para dar veracidade ao texto, o periódico recorreu à conceituada Consultoria Tendências e ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de onde alegou ter colhido as informações.

Ao ter conhecimento da matéria enganosa do jornal, técnicos da Consultoria Tendências ficaram surpreendidos e procuraram o periódico para solicitar a correção dos dados.

Na edição desta quinta-feira (02), o jornal manipula novamente as informações da Tendência e assume que não procurou a Consultoria antes de publicar a matéria equivocada do dia 31 ao responsabilizar jornalista Murilo Ramos, da Revista Época, por “ter induzido o jornal a erro”. Apenas no pé da matéria, o jornal reconhece que, segundo a Tendências, o crescimento do Maranhão deve chegar a 3,2% em 2017.

As matérias manipuladas sobre o PIB do Maranhão formam exemplos clássicos do método que o jornal de Sarney usa, pelo menos desde o Caso Reis Pacheco, para tentar desinformar a sociedade, especialmente no período eleitoral.

O jornal não teve pudor ao usar o nome de uma consultoria privada e de um órgão do governo federal para dar ares de veracidade a um texto que ataca o Governo do Estado sem a menor base na realidade. 

Nas matérias, o EMA esconde que as consultorias fazem apenas estimativas sobre o PIB e que os números oficiais sobre 2016 e 2017 serão divulgados apenas a partir do final do ano. O jornal também esconde que, mesmo sendo apenas estimativas, todas as consultorias sérias, além do próprio IBGE, projetam para o Maranhão, no período pós-crise, um crescimento acima da média nacional.

Consultorias desmentem

Além da Tendências, que solicitou formalmente ao Jornal de Sarney, a correção das informações, outras consultorias avaliam que o Maranhão está entre os estados que melhor enfrentaram a crise com crescimento do PIB em uma situação muito melhor do que a média nacional,

O já conhecido estudo encomendado pelo Banco Itaú e divulgado no Jornal Folha de São Paulo em março deste ano, mostra que o PIB maranhense cresceu 9,7% em 2017.

Outro Banco, o Santander, mostra a projeção de crescimento do Maranhão em 2017 em 3%. O Santander também projeta que o Maranhão deverá crescer até 3% em 2018. (os relatórios regionais do Banco, referentes a 2017, podem ser consultados AQUI e AQUI

Para a Consultoria 4E, o Maranhão também o crescimento do Maranhão no ano passado também apresenta melhor resultado do que o PIB nacional e do Nordeste, cenário semelhante deverá ocorrer em 2018, quando o Estado, segundo esse levantamento, deverá crescer acima dos 4% (Veja o estudo da 4E AQUI 

Por fim, o Instituto Maranhenses de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC), órgão ligado ao Governo do Maranhão, que em parceria com o IBGE divulga os dados oficiais do Estado -  trabalha com a perspectiva de que o Estado cresceu 4,8% em 2017, numa perspectiva bem mais pessimista em relação aos quase 10% de crescimento apontados pelo estudo do Banco Itaú, por exemplo.

Nenhum desses estudos foram levados em consideração pelo Jornal O Estado do Maranhão para analisar o PIB do Estado. Ao contrário, e num exemplo de desserviço ao jornalismo maranhense, o periódico preferiu inventar dados e usar indevidamente a reputação de uma consultoria com o objetivo de prejudicar adversários políticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Zaidan de Sousa. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.