quarta-feira, 5 de julho de 2017

Repórter investigativo revela localização dos corpos dos PM’s assassinados em Buriticupu

De acordo com post revelador do Blog SJnotíciasMA, editado pelo radialista e repórter investigativo Stenio Johnny, que possui tramite na Secretaria de Segurança, além da participação do tenente Josuel Alves de Aguiar e dos soldados Tiago Viana Gonçalves e Gladstone de Sousa outros militares, empresário e político também estão envolvidos no assassinato do Cabo Júlio César da Luz Pereira e do soldado Carlos Alberto Constantino Sousa, que sumiram desde o dia 17 de novembro de 2016.

Segundo o repórter investigativo, um coronel que já responde por outro processo disciplinar na PM-MA, um empresário madeireiro e um político da região, os três com nomes ainda não revelados seriam os mandantes do crime.
Ainda de acordo com o post, existem pessoas com alto poder de influência protegendo os militares bem como o madeireiro e o político envolvido no caso.

Os PM’s presos acusados de serem os executores estariam sendo orientados a não falar nada, se limitando apenas a negar participação no crime. Tanto, que um dos policiais presos ao ameaçar delatar todo o esquema ganhou do Tribunal de Justiça um Habeas Corpus determinando sua soltura no último dia 14 de junho.

Corpos dos Policiais
Os corpos dos policiais ainda não encontrados pela equipe de investigação da Secretaria de Segurança Pública, segundo o SJnotíciasMA, estariam enterrados em um carro dentro de um buraco num povoado próximo da localidade Faísa, onde o vereador de Santa Luzia, Vavá (PCdoB), foi assassinado em maio de 2015.

O repórter Stenio Johnny revela também que outro envolvido é o Major Arão Queiroz, que possui grande proteção política e, exatamente por essa blindagem externa em favor dele, até hoje não foi expedido nenhum mandado de prisão.
Por fim, a reportagem reveladora diz que dada a complexidade do caso, a família dos militares assassinados enviou uma carta ao Ministro da Justiça solicitando participação da Policia Federal nas investigações.

Fonte: Domingos Costa