segunda-feira, 6 de março de 2017

Pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará desenvolvem analgésicos mais potentes que a morfina

Na caatinga nordestina, existem muito mais tesouros do que podemos imaginar. Pesquisadores do laboratório de ciências biomédicas da Universidade Estadual do Ceará (UECE), desenvolveram analgésicos mais potentes que a morfina, a partir do veneno de dois animais de nossa biodiversidade.
A cobra cascavel e o sapo-cururu, animais típicos da caatinga do nordeste, possuem venenos que foram isolados, estudados e sintetizados até chegar a dois analgésicos que são cinco vezes mais potentes que a morfina e com menos efeitos colaterais. Esses analgésicos poderão servir para pessoas que sofrem com dores neuropáticas.
A descoberta faz parte do trabalho da equipe do professor Krishnamurti Carvalho do laboratório de ciências biomédicas da Universidade Estadual do Ceará.
No momento os analgésicos estão sendo testados em camundongos, mas os estudos já estão na última etapa antes dos testes em humanos. Veja mais detalhes no vídeo da Nordestv Notícias, da Nordestv/Band: