sábado, 4 de fevereiro de 2017

“Estou enojado e revoltado. No Brasil, o crime compensa”, diz pai do advogado Brunno Matos

O pai do advogado Bruno Matos, Rubem Soares, reagiu com indignação e revolta ao resultado do julgamento dos envolvidos no assassinato do filho.
Eu tô triste, muito abalado e com vergonha de ser brasileiro. Não podemos aceitar uma condenação dessa”, desabafou.

Rubem Soares acrescentou que a família vai se reunir com os advogados para definir o que será feito, dando a entender que haverá recurso para tentar anular o julgamento.
O que puder ser feito para anular esse quadro, nós vamos fazer”, garantiu.

Soares disse também que esperava, no mínimo, 12 anos de prisão para o principal acusado de matar Brunno Matos, o engenheiro Diego Polary. A condenação foi de apenas 8 anos de reclusão, sendo que o acusado vai recorrer em liberdade. A expectativa era de que ele saísse do Fórum Sarney Costa direto para a penitenciária.
Estou enojado, revoltado, indignado e insatisfeito. No Brasil, o crime compensa”, finalizou.

Além de Diego Polary, foram julgados outros dois envolvidos no crime: Carlos Marão foi condenado a seis anos por participação no homicídio do advogado e da tentativa de assassinato de Alexandre Matos e Kelvin Chiang; e o vigia João José Gomes, condenado a um ano de detenção por lesão corporal e sua pena deve ser convertida em trabalho comunitário por ser réu primário.