quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Policial do Bope é executado a tiros na porta de academia

Um cabo do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) identificado como Claudemir foi assassinado na noite desta terça-feira (6) no bairro Saci, Zona Sul de Teresina. 
Segundo informações de testemunhas, dois homens chegaram em um veículo e ‘descarregaram’ uma arma no peito da vítima, que morreu no local.
O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado ao local, mas o policial já estava morto. 
Câmeras de segurança registraram o momento que o policial tenta sair na sua moto quando a dupla chega e efetua os disparos.
Segundo informações da polícia, os autores do crime andavam em um Uno Vivace, modelo novo, de cor preta.
A academia Adrenalina Fitness, onde a vítima frequentava, fica localizada na avenida principal do bairro e várias pessoas escutaram os disparos.
Pessoas próximas a Claudemir afirmam que ele havia chegado de um trabalho a Força Nacional há aproximadamente 15 dias. 
Uma das câmeras de segurança que poderia ter filmado melhor os criminosos estava virada. O crime aconteceu por volta de 21:00 horas.

Um funcionário da Infraero é o suspeito de ter 'encomendado' a morte do policial do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) Claudemir Sousa, 32 anos, executado na noite desta terça-feira (06/12), no bairro Saci, Zona Sul de Teresina.
Cinco suspeitos de participação no crime foram presos durante a madrugada e na manhã desta quarta-feira (07/12), entre eles um taxista que seria o intermediador entre o mandante e os executores do homicídio.

VEJA MATÉRIA DO CASO
Leonardo Ferreira Lima trabalha no Aeroporto de Teresina e teria encomendado a morte do Cabo Claudemir por ciúmes. A vítima estaria namorando uma ex do suposto mandante do crime e ele teria prometido pagar R$ 20 mil pela morte do policial.
O suspeito negou à polícia seu envolvimento e disse que não tem mulher envolvida ou ex. Mas segundo as apurações, o crime já vinha sendo planejado há pelo menos dois menos e que os envolvidos chegaram a se encontrar. Com Leonardo foi encontrado R$ 10 mil, que seria a segunda parcela do pagamento aos executores.
O taxista José Roberto Leal da Silva, popularmente chamado como 'Beto Jamaica', que já é conhecido da polícia na Zona Sul de Teresina, é suspeito de articular a execução. Francisco Luan de Sena, Igor Andrade Sousa e Wesley Marlon Silva teriam agido durante a execução, tanto efetuado disparos, como dando cobertura para o crime.
Os cinco suspeitos foram encaminhados para a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Greco), onde prestam depoimento. Ainda há dois suspeitos foragidos, entre eles uma mulher, que teria passado informações sobre a saída da vítima da academia.
O secretário de Segurança do Piauí, Fábio Abreu, participou pessoalmente da operação que prendeu os suspeitos e contou com o apoio de vários policiais que se solidarizaram com o caso.                                                                               
Informações do site 180 graus/Teresina