quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Ocupação de escolas adia prova do Enem para mais de 190 mil alunos

O Ministério da Educação decidiu transferir para dezembro as provas do Enem de mais de 190 mil estudantes. As escolas que eles usariam estão ocupadas.
Ainda existem 304 locais de prova ocupados por estudantes em 19 estados e no Distrito Federal. O prazo do Ministério da Educação para que todas as escolas fossem desocupadas terminou à meia-noite de segunda-feira (31), mas muitos estudantes decidiram manter o protesto contra a reforma do ensino médio e a PEC que limita o aumento dos gastos públicos. Em Alagoas, 15 escolas onde seriam aplicadas as provas do Enem no fim de semana, estão ocupadas.

O Paraná é o estado com maior número de ocupações: 265 colégios. Setenta e quatro receberiam o Enem. Em todo o país, mais de 190 mil estudantes tiveram as provas do Enem adiadas para os dias 3 e 4 de dezembro. O Inep diz que não há tempo hábil para mudar o local das provas. Os inscritos começaram a ser avisados nesta terça-feira (1º) do adiamento por mensagem de SMS.
“Não é fácil trocar o local de prova. Temos que garantir isonomia, o mesmo cuidado com as primeiras escolas em relação à infraestrutura física, segurança, aporte de pessoas que vão trabalhar. Não se trata apenas de sair de uma e ir para outra”, explica Maria Inês Fini, presidente do Inep.

O Inep ainda vai escolher os novos locais de prova e afirma que ninguém será prejudicado pelo adiamento, que as provas aplicadas em dezembro serão equivalentes às deste fim de semana e que a divulgação do resultado, para todos, está mantida para 19 de janeiro.
O Ministério da Educação vai pagar a conta da nova etapa do Enem. “Lamentavelmente vai ter que ser o próprio Governo Federal. Não temos como imputar a responsabilidade, principalmente para fazer a cobrança deste custo absurdo que vamos ter que assumir. Não há possibilidade de imputar um jovem uma responsabilidade como essa”, diz a presidente do Inep.

G1/Jornal Nacional, edição Portal CN1