domingo, 16 de agosto de 2015

Promotora chama jornalistas sem diplomas de corruptos

Do Blog Luis Cardoso.
A promotora de Justiça Promotora Sandra Soares de Pontes, titular da Comarca de Pedreiras, aproveitou um evento promovido pelo Ministério Público naquela cidade para atacar jornalistas que não fizeram o curso de Comunicação Social.
Disse a doutora que “jornalista que não tem diploma espalham notícias, expondo e colocando em risco a vida da pessoa, recebendo uma determinada quantia em dinheiro, sendo assim também são corruptos”.
O evento realizado pelo MP era contra a corrupção, tendo como convidada de honra a ‘honestíssima’ prefeita de Pedreiras, Fátima Vieira, filha do não menos ‘honestíssimo’ ex-deputado federal Zé Vieira.
A promotora não declinou nomes e nunca o fez pelas vias judiciais, nem exerceu o papel de denunciar quem recebe dinheiro e de quem, mostrando que faz acusações aos vento e sem provas.
Ela agiu assim depois que suas conversas nada republicanas com um médico de Santa Inês pela cassação do prefeito afastado de Pedreiras para que a vice Fátima Vieira fosse empossada. A Procuradoria, ao invés de investigar o caso, referendou o erro da promotora. O médico é aquele que foi preso recentemente por se negar a pagar pensão alimentícia.
A doutora Sandra Pontes, talvez, não saiba que antes de existir o curso de jornalismo pela UFMA, já estavam em plena atividade no Maranhão jornais e emissoras de rádios.
Os jornalistas que trabalham nos veículos de comunicação, competentes por sinal, foram amparados legalmente e se registraram na DRT com o apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Maranhão, muitos atuando até hoje.
O Curso de Comunicação começou muito tarde. Ainda assim, jornalistas no Brasil que não alcançaram o diploma pelo simples fato de estarem, atuando mais cedo, são tão bons quanto os que saíram das faculdades. E nem preciso citar exemplos para não esquecer de vários e fazer injustiça.
O Supremo Tribunal Federal determinou o fim da obrigatoriedade do diploma para ser jornalista. Acho que jornalista nasce nas redações e se aperfeiçoa nas leituras.
Mas sou contra a decisão do STJ. Acredito que jornalista precisa hoje do curso de comunicação social para colocar na prática o que aprende na teoria.
A doutora, talvez, não saiba que antes de ser oficializado o curso de Direito, existiam bons advogados. E não vou citá-los para deixar que a promotora faça uma análise do período pretérito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Blog Zaidan de Sousa. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.