sábado, 2 de maio de 2015

Vereador propõe proibição do implante do chip da besta

O vereador evangélico do PSD Carlos Fontes (foto), de Santa Bárbara d’Oeste (SP), apresentou um projeto de lei que proíbe a implantação nos moradores da marca da besta, que é, segundo ele, um chip concebido pela ONU (Organização das Nações Unidas). A cidade tem cerca de 190 mil habitantes e fica a 138 km de São Paulo.
Na justificativa do projeto, Fontes argumentou que, no fim do mundo, Satã vai criar uma ordem mundial que marcará as pessoas na pele com dispositivos rastreadores.
"Tendo em conta que o fim dos tempos se aproxima, é preciso que as leis se antecipem aos futuros acontecimentos", afirmou.
"Sendo assim, urge que se proíba a implantação em seres humanos de chips ou quaisquer outros dispositivos móveis que permitam o rastreamento dos cidadãos."
O vereador afirmou, também, no Brasil, “de modo sorrateiro”, tem havido implantação de chips como rastreadores pretensamente como ferramenta de segurança. Ele acredita que isso é uma artimanha de Satanás.
Usuários do Facebook criticaram a argumentação — tida como ridícula — do vereador, embora alguns deles opinassem ser contra a implantação de chips para garantir a liberdade individual, não por causa do delírio sobre a ordem satânica.
Um deles, por exemplo, escreveu: “Eu sou a favor de exame psicológico para candidatos a vereador”.
O vereador disse que Apocalipse 13:16-17 revela em que parte do corpo a marca da besta será implantada.
Ao portal G1, Fontes afirmou que, caso seu projeto de lei seja aprovado, as pessoas terão o “livre arbítrio” de aceitarem ou não a implantação do chip.
Mas o texto do projeto afirma que quem descumprir a lei será responsabilizado administrativo, cível e penalmente.
Por Paulo Lope.