domingo, 26 de abril de 2015

Carro de luxo usado pelos Macedo pertence a ex-sócia da BR Construções

De O Estado.
Um carro de luxo usado pelo deputado Fábio Macedo (PDT), e registrado em nome de Leila Assunção da Silva – fundadora da BR
Construções,contratada sem licitação pelo Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran) por
R$ 4,8 milho
̃es para fornecer mão de obra ao órgão – é mais uma das ligações entre a firma, o empresário José Wilson Macedo, o Dedé Macedo, e o governo Flávio Dino (PCdoB).
O contrato foi questionado na Justiça, por meio de ação popular da deputada estadual Andrea Murad (PMDB), chegou a ser suspenso, por decisão do juiz Clésio Coelho Cunha, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, mas voltou a ser considerado legal após decisão do Tribunal de Justiça.
Principal elo entre a BR e o empresário Dedé Macedo, Leila Assunção deixou o quadro societário da empresa que abriu com o genro, Rafael Aranha Araújo, no fim do ano passado. A ele, então, repassou o controle social do negócio, destinando-lhe 98% das cotas de capital. No lugar dela, entrou Bruno Coelho – por isso a alteração também do nome da firma, que nasceu como LR Construções, e só depois da saída da fundadora tornou-se BR.
No início do ano, a ex-proprietária da BR Construções foi nomeada chefe de gabinete do deputado Fábio Macedo (PDT), filho de Dedé Macedo. O cargo lhe rende salário mensal de mais de R$ 10 mil.
Apesar de ser a funcionária do gabinete, no entanto, é de propriedade de Leila Assunção um veículo BMW X3 2014/2015 usado pelo parlamentar e por sua esposa, Lorena Macedo, em São Luís.
O importado, que custou R$ 200 mil, segundo informa o banco de dados do próprio Detran- MA, foi adquirido no fim do ano passado, e emplacado no dia 18 de dezembro. O carro está financiado pela funcionária de Fábio Macedo, na BMW Financeira.
Na Assembleia, o veículo é normalmente encontrado na garagem do deputado Fábio Macedo. Nele chegam e saem o parlamentar e sua esposa – esta também o utiliza diariamente e esteve com ele recentemente em um salão de beleza da capital.
Na traseira do importado, o casal já afixou até um adesivo com o símbolo da igreja evangélica que frequenta.
Relações – Foi esse tipo de relação entre a BR Construções e a família Macedo o que acabou mais chamando a atenção do juiz Clésio Cunha quando ele decidiu conceder liminar em ação popular protocolada pela deputada Andrea Murad.
Para o juiz Clésio Cunha, essa relação sugere “possível ofensa ao princípio da moralidade e impessoalidade”.
“Percebo possível ofensa ao princípio da moralidade e impessoalidade […] haja vista a mudança da estrutura societária da sociedade empresarial às vésperas da celebração do contrato, tendo em vista que a antiga sócia Leila Assunção da Silva deixou a sociedade, sendo substituída pelo genro, e, em cerca de dois meses, assumiu cargo em comissão no gabinete do deputado Fábio Macedo”, despachou o juiz.
A liminar foi revogada dias depois pelo desembargador José de Ribamar Castro, ao analisar agravo do Governo do Estado que ignorou as relações entre a empresa e um dos principais doadores de campanha do governador.
Mais

Após O Estado revelar as circunstâncias da contratação da BR Construções pelo Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), a deputada estadual Andrea Murad (PMD) classificou o episódio como um “escandaloso caso de contratação para pagar débitos de campanha”.